O Carnaval 2015

O Desfile das Escolas de Samba em 2015 teve a Beija­Flor de Nilópolis como grande campeã do carnaval carioca. Com seu enredo de exaltação da cultura e da alma africana,superou a polêmica do apoio recebido da Guiné Equatorial – país que vive sob ditadura e que foi homenageado no desfile. Terceira escola a entrar na Sapucaí na no desfile da segunda noite do Grupo Especial, a azul­e­branca da Baixada Fluminense conquistou seu 13o título, com apenas um décimo perdido na apuração. O enredo mostrou as belezas e a cultura da Guiné Equatorial. Resgatando a exaltação da cultura e a alma africana, tema que já deu à azul e branca vários campeonatos, optou mais uma vez pelo luxo e tradição, sem recorrer a grandes inovações ou recursos tecnológicos, apostando na perfeição técnica e na empolgação dos seus integrantes apaixonados.

Vice­campeão em 2014, o Salgueiro entrou na Avenida disposto a não deixar o título escapar. Com enredo que contava a história da culinária mineira, a agremiação fez outra linda apresentação, conquistando mais um vice­campeonato. Com um conjunto de alegorias exuberante e ricamente iluminado, o Salgueiro conseguiu transmitir a mensagem de seu tema com clareza e requinte, mérito da dupla de carnavalescos Renato e Márcia Lage.

O terceiro lugar ficou com a Acadêmicos do Grande Rio, superando a Unidos da Tijuca e a Portela nos quesitos de desempate. Última escola do primeiro dia de desfiles do Grupo Especial, a escola do município de Duque de Caxias levou para a Avenida um enredo sobre a simbologia das cartas.

Comandada por Rodrigo Nery e Priscilla Mota, a comissão de frente foi o grande momento do desfile. Ao trazer os personagens de Alice no País das Maravilhas, o grupo encantou o público apostando em truques de ilusionismo.